Álcool ou gasolina: qual vale mais a pena?

Quando começaram a surgir no mercado brasileiro os modelos de carros com motor flex – aqueles que podem andar tanto com álcool quanto com gasolina – as perguntas sobre qual combustível seria mais vantajoso de se usar na hora de abastecer o carro surgiram de forma muito veloz. E, num momento de crise econômica, no qual os preços variam muito e estão altamente indexados à variação do dólar, os proprietários de veículos precisam ter uma dose extra de conhecimento e estar com a matemática em dia para poder fazer as contas e decidir pela opção mais adequada.

Para ajudar você a entender melhor como o motor flex funciona e, ao mesmo tempo, te orientar sobre como escolher o combustível certo em cada situação, preparamos um material especial. Acompanhe!

 

Preciso usar sempre o mesmo combustível no carro flex?

Definitivamente, não. Os modelos flex estão preparados para rodar com tanque cheio de etanol, gasolina ou com a mistura desses dois combustíveis em qualquer proporção. O carro tem sensores no tubo de escapamento que vão, a cada tempo, medindo qual a proporção de resíduo de queima gerado pela combustão.

Com essa informação, o próprio sistema eletrônico calcula qual a mistura que está sendo usada no momento e regula os mecanismos de injeção para associar potência e uso racional do combustível.

 

O etanol está mais barato na bomba. Isso quer dizer que ele é mais econômico?

O custo de produção de um litro de etanol no Brasil é historicamente menor do que em relação à gasolina. No entanto, é necessário calcular como o seu carro se comporta e avaliar qual a proporção de diferença de preço entre os combustíveis para identificar com qual abastecer para economizar.

O primeiro passo para essa conta é identificar como anda o rendimento do carro. Nos modelos mais novos, que trazem o computador de bordo no painel, é possível ver qual o consumo do carro, em quilômetros por litro (km/l). Essa informação é a primeira variável.

A segunda é o preço na bomba. Como aqui no Brasil o refino dos derivados de petróleo é feito exclusivamente pela Petrobras, a tabela dos custos é regulada pela empresa e, nos últimos tempos, a política dos preços tem sido praticada tendo em vista o mercado externo e os indicadores de importação e exportação, atrelados ao dólar.

Por outro lado, como o álcool é derivado da cana-de-açúcar, o preço do combustível varia dependendo da produtividade das safras e da velocidade de produção nas usinas. Além disso, vale lembrar que a  gasolina vendida no Brasil tem 27% de etanol em sua composição, para garantir um equilíbrio na composição química.

De maneira geral, o etanol é mais vantajoso quando o preço dele estivar equivalente a 70% ou menos do que o valor da gasolina.

Por exemplo: se, na hora de abastecer você tiver gasolina a R$5,54 o litro e o álcool a R$3,85, a conta a ser feita é dividir o preço do álcool pelo da gasolina (3,85/5,54). O resultado aqui é 0,694. Isso quer dizer que, no nosso exemplo, o etanol custa 69,4% do preço da gasolina.

No entanto, dependendo do perfil de direção e dos ajustes do motor do carro, pode ser mais econômico abastecer com etanol mesmo que essa conta chegue a 74% ou 75%. Por isso é fundamental ver como o consumo do carro varia com cada tipo de combustível.

 

E em termos ambientais? O que é melhor usar?

Aí não restam dúvidas. O etanol é uma opção mais sustentável do que a gasolina, porque é produzido a partir de vegetal e, em sua combustão, a liberação de gases poluentes é muito menor do que na queima da gasolina, que é derivada do petróleo.

Gostou dessas dicas? Quer deixar seu carro ainda mais especial? Conheça os acessórios ideais para ele!

compartilhe:

Outras Dicas e notícias
sobre carros

acompanhe nossas redes sociais
© TgPoli 2019. Todos os direitos reservados